Misericórdia do Barreiro assinala 450 anos com Evocação Histórica
Cortejo de Oferendas e Feira Quinhentista marcam Festividades
       

No âmbito das comemorações dos seus 450 anos de existência, a Santa Casa da Misericórdia do Barreiro vai organizar nos dias 15, 16 e 17 de Outubro uma Feira Quinhentista, que decorrerá diariamente entre as 15 e as 23 horas, na zona envolvente à referida instituição. Esta iniciativa conta com diversos quadros de animação circense, jogos, danças e músicas antigas, assim como estarão presentes várias tasquinhas de comes e bebes e bancadas de artesanato local.
Neste programa de celebrações, destaca-se ainda o Cortejo de Evocação Histórica que se realizará no dia 16 de Outubro, sábado, pelas 15 horas, a partir da estátua Alfredo da Silva até às instalações da Misericórdia do Barreiro, localizadas na Rua Miguel Bombarda.
Recordamos que a entrada nesta série de eventos é gratuita. A Santa Casa espera a adesão de toda a população barreirense interessada em participar neste importante momento da nossa vida enquanto comunidade. (Rostos online)

     

Creche Rainha Dona Leonor abre portas
No dia em que a instituição de solidariedade mais antiga do concelho comemorou o seu 450º aniversário, inaugurou também a sua primeira Creche. A Creche Rainha Dona Leonor, situada em Palhais, foi assim inaugurada do passado dia 7 de Outubro e contou com a presença de personalidades como Maria Helena André, Ministra do Trabalho e da Solidariedade Social, Júlio Freire, provedor da Santa Casa da Misericórdia do Barreiro, e Carlos Humberto, presidente da Câmara Municipal do Barreiro (CMB).
Após uma breve visita às instalações daquela que é a primeira creche da Misericórdia, Júlio Freire tomou a palavra e agradeceu publicamente “todo o apoio prestado pelo presidente da CMB” e pelo próprio Governo que, “financiou fortemente este projecto” e que, de certa forma, contribuiu para que esta obra ficasse “acima da média nacional”. O provedor da Santa Casa salientou também o facto de esta ser “uma obra muito bonita” e que dignifica “não só a Misericórdia, como o próprio Barreiro e a sua população”.
Júlio Freire não quis deixar de relembrar as restantes obras, em curso, levadas a cabo pela instituição, como o caso da Unidade de Cuidados Continuados e da Comunidade de Inserção e Serviços Anexos, já em funcionamento, “onde as pessoas podem tomar a sua refeição e fazer a sua higiene pessoal”.
Em contexto da celebração pelos 450 anos da Misericórdia e pelo seu próprio aniversário realizado no mesmo dia, o provedor confessou estar “muito contente” com todos os passos dados pela instituição, no sentido de melhor servir a população e de contribuir para um desenvolvimento local no âmbito da solidariedade. Neste sentido, Júlio Freire fez um “um balanço positivo” do trabalho realizado por todas as Misericórdias e, em especial, pela Misericórdia do Barreiro.
“Quem tem acompanhado as obras que estamos a fazer, tem a perfeita noção do esforço que tem sido feito para que estes projectos se concluam, ainda que estejamos a viver em contexto de crise, o que, de facto, me preocupa muito”, acrescentou.
O responsável pela instituição dirigiu também algumas palavras à “Mesa Administrativa, aos funcionários da Santa Casa, à Comissão Executiva e à própria população do Barreiro” que, “com esforço e boa vontade”, contribuíram, em grande parte, para a realização deste e de outros projectos. “Estou muito satisfeito por me ver acompanhado por estas pessoas”, reforçou.

     
(Jornal do Barreiro)